Cidade das Mandalas

“O mundo exterior reflete o nosso interior.”

Quando a poluição em Paris atinge níveis exorbitantes, a jovem Kundalini perde o seu emprego e fica à mercê de seus pensamentos. O que fazer? Com quem ficar? E como lidar com uma cidade que parece lembrar-lhe cada vez mais a perda do pai?

Apenas quando Kundalini entender a razão do seu aprisionamento numa relação infeliz, da qual ela não consegue se desfazer, é que ela será capaz de usar o poder das mandalas e iniciar a sua ascensão espiritual.

Um livro para aqueles que entendem que o mundo é uma representação fiel de cada escolha que fazemos.

“Uma história instigante, bem escrita, que faz jus ao conhecimento literário e às experiências de vida da autora. Vale a pena ler e degustar. Ver como a autora alinhavou e costurou a trama, acompanhar o desemaranhar da história, uma obra de arte fruto do estudo – muito estudo e dedicação.”
James McSill

“Um livro estimulante, dinâmico, ágil e imaginativo.
Com uma energia feminina, a história é cheia de nuances e entrelinhas que nos fazem imergir numa Paris mágica.
A personagem principal transita pelas ruas da cidade, envolvida pelas suas experiências, amores, desamores, descobertas e desafios, nos despertando a curiosidade em conhecer mais sobre o universo misterioso das mandalas e de suas lembranças sobre o passado.”
Victor Hugo Cassetari

“Não imaginei que seria um trabalho tão lindo, não sabia que era capaz de tanto. (…) Senti um grito feminino, um gemido de dor, que se mistura com o gemido de prazer, e não se sabe onde termina um e começa o outro. Senti o desespero de uma menina mulher que está descobrindo que a moral familiar não necessariamente lhe cabe, mas ela sofre com a culpa da desobediência. Também uma amor enorme, um carinho enorme (…) O livro é sensacional.”
Juliana Marmiole

“Fiquei totalmente presa pela Kundalini e seu ‘dilema amoroso’ e me senti como se estivesse andando em Paris… um sonho. As características, tanto físicas como dos ideais e desejos dos personagens, são únicas, reais e legítimas.
Acredito que muitos irão se identificar com os sonhos, medos e necessidades de Kundalini.
Eu sinceramente achei o livro muito interessante; ele me fez refletir muito sobre o conceito do ‘véu’ e das ‘mandalas’.”
Amanda Goreth

“O legal dessa história é a leve semelhança com a realidade atual: os aviões que não podem voar mais, a poluição extrema, a economia em recesso… O universo é cativante e a gente consegue entrar no corpo do personagem. Vê-se que Kundalini é curiosa e que ela sabe o que quer para a sua vida. Mas a história permanece humana porque a personagem hesita e estas são situações nas quais nos reconhecemos. Gosto muito das descrições e a leitura é fácil para alguém que, como eu, não é de língua materna portuguesa.”
Glória Saltitante

“Kundalini será sua companheira pelas ruas de Paris, uma Paris charmosa porém misteriosa, cheia de encantos.
Dividirá seus sentimentos e anseios, e muitas vezes, você vai refletir sobre suas próprias ações.
Em meio a risadas, tensões, surpresas e amor, Kundalini vai te mostrar o rumo de uma transformação que pode estar prestes a explodir em você. Que esta mandala, ops livro, seja o seu despertar.”
Nathalia Sukys Simi

“Estou arrepiado com o livro.”
Gabriel Marchioli